Castros galegos, o legado dos Celtas

castros galegos

A singularidade da Galiza começa com os seus laços estreitos com o mar. Desde os primeiros colonos até aos povos invasores que se estabeleceram ao longo das costas. A Galiza é a filha do mar e da pedra, como demonstram os abundantes depósitos de petróglifos, golfinhos e também assentamentos celtas. Muitos deles são preservados em muito bom estado devido à humidade e ao solo. Castros galegos, o legado dos celtas.

A pedra em que se baseia a cultura dos nossos antepassados.
Quase toda a gente sabe que a Galiza é uma terra de lendas, de sal e pedra, uma terra de celtas. Mas nem todos conhecem as “outras pedras da Galiza”, as gravuras e esculturas para além dos castros galegos.

Petroglifos, uma mensagem com milhares de anos de idade ainda por descobrir
Estas são gravuras rupestres feitas em granito com símbolos e representações que ainda mantêm o mistério do seu significado, em muitos casos. Feita há milhares de anos, a Galiza tem muitos dos locais mais incríveis da Europa. Como por exemplo:

Petroglifo de Mogor e as suas formas em espiral, em Marín.
Petroglyph A Laxe dos Homes, em Cuntis. Representações da Idade do Bronze de um homem e de uma mulher.
Os petróglifos do Chan da Rúa, no meio da floresta em Vilaboa.

Se quiser saber mais sobre este maravilhoso legado, pode visitar o Parque Arqueolóxico de Arte Rupestre de Campo Lameiro.

Os dólmenes, as esculturas funerárias do Neolítico que ainda hoje se encontram de pé
A Galiza tem um bom património em pedra, para além dos castros galegos. Um bom exemplo disto é o número de dólmenes que podem ser encontrados em toda a região. Uma das mais importantes e maiores é a Dolmen of Dombate, que tem 24 metros de diâmetro. Ou os dólmenes com mais de 4.000 anos de idade do Concello de Muíños.

Pertencendo ao período Neolítico, estas esculturas estão relacionadas com práticas funerárias. Uma das coisas mais impressionantes é pensar que são construções erguidas há milhares de anos e que ainda estão connosco.

Juntamente com a passagem do tempo, o outro grande desafio destas pedras icónicas é a sua composição. Tendo em conta que na Galiza a pedra por excelência é granito pesado e duro. É um desafio elevar as rochas e colocá-las firmemente, tanto verticalmente como verticalmente. Assim como a pedra que actua como um telhado em posição horizontal.

Castros galegos, o lar pré-romano das fortalezas dos nossos antepassados
Sabia que os castros galegos têm funcionado como aldeias durante mais de 1.000 anos? Acredita-se que os primeiros assentamentos celtas foram feitos no século VI a.C. em áreas onde a visibilidade era muito boa. Muitas vezes com sítios tão impressionantes como Castro Baroña, com vista para o mar. Ou Castro de Santa Trega, em A Guarda, na foz do rio Minho. E de onde Espanha e Portugal se encontram.

Activas até ao século VI d.C., estas fortificações ainda mantêm a sua disposição e forma. Conservam as suas pedras originais e acredita-se que, para além das que conhecemos ao ar livre. Há muitos que a terra ainda se esconde.

Ligações:

Petroglyph A Laxe dos Homes, em Cuntis http://patrimoniogalego.net/index.php/2791/2011/07/laxe-dos-homes/

visite o Parque Arqueolóxico de Arte Rupestre de Campo Lameiro: https://www.paar.es/?lang=gl

Comments are closed.
Abrir chat
¿Necesitas ayuda?